domingo, 17 de agosto de 2014

Vertigem

Parece vertigem,
mas é fuligem.
Parece nó, mas é pó,
só.
Parece nervoso,
parece ansioso,
parece ranzinza,
mas é a cinza
que acinza
a nuvem, o céu,
o véu, o mel,
o meu, o teu,
o prédio, a casa,
quem casa,
a igreja,
o muro, murmuro:
é o pó, é o nó,
já falei
que é só.

2 comentários:

  1. Num jogo de palavras muito bem construído teu poema contrasta os sentidos. Gostei muito de conhecer tuas letras.

    ResponderExcluir