quarta-feira, 2 de julho de 2014

A vida é uma loteria

 Ganhei! Ganhei! Ganhei!

Os gritos provinham de um entusiasmado jovem, que pulava ensandecidamente nos aposentos de seu pequeno apartamento.

 Ganhei! Ganhei! Ganhei!

Que hora para ganhar na loteria! É claro que não existe momento ruim para se ganhar uma bolada dessas, porém, nesse caso, era especialmente oportuno. O rapaz estava desempregado, mas, antes de ser demitido, tinha pedido a mão de sua namorada em casamento. Depois, sem trabalho e sem salário, via-se às vésperas de se casar e não tinha coragem de desmanchar os planos, principalmente porque as famílias já haviam planejado todo o cerimonial da festa, que, inclusive, já tinha data marcada. Como se não bastasse, sua noiva estava grávida.

 Ganhei! Ganhei! Ganhei!

Ele não parava de reler os números divulgados no jornal e compará-los aos por ele apostados. Eram, de fato, os mesmos. Estava milionário. Um dos maiores prêmios acumulados da história.

 Ganhei! Ganhei! Ganhei! Não posso acreditar! Eu ganhei!

Saiu do apartamento (que estava com o aluguel atrasado) e correu rumo à casa da noiva para lhe contar que todos os problemas do casal estavam terminados. Poderiam viver numa mansão, dar uma vida de luxo para o filhinho que esperavam e serem muito felizes, sem as preocupações financeiras que comumente arruínam amores.

 Amor, amor! – bradou ele, entrando afoitamente pela casa da moça. – Você não vai acreditar!
 O que foi? – perguntou ela, esbugalhando os olhos. – Meu Deus! Você está suando!
 Olha isso! Olha isso! – ele falou, numa voz estridente e empolgada, entregando à noiva o jornal.
 Que tem? Fala logo, você está me assustando!
 Sabe as filas nas casas lotéricas? Sabe o prêmio que estava acumulado?
 Sei... Que tem o prêmio?
 Você está falando com o ganhador!

Ela parou, pôs a mão no ventre e se sentou no sofá.

 Você... ganhou?
 Ganhei! Ganhei! Seremos felizes!

Ela se emocionou tanto que não conseguia responder. As palavras não lhe vinham, assim como o ar. Aos poucos, foi ficando vermelha. Ainda com a mão no ventre, tombou para o lado e morreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário